12ª edição

shutterstock_556236001

Você sabia que, em 2016, uma em cada cinco compras on-line no Brasil foi realizada por meio de smartphones ou tablets? O dado não deixa dúvidas quanto ao futuro do e-commerce, que passará cada vez mais pelos aplicativos em dispositivos móveis – utilizados não apenas para comunicar-se, mas também para adquirir produtos e serviços, pesquisar e comparar preços, encontrar maior variedade de itens e dialogar com as marcas. É um caminho sem volta.

Adaptar-se às demandas crescentes dos consumidores é o grande desafio para os varejistas que atuam no e-commerce e aqueles que pensam em entrar no mundo digital. O consumidor on-line está em busca de experiências de compra que combinam praticidade, percepção de valor e satisfação com cada produto. Para isso, é fundamental ampliar e inovar nas estratégias comerciais, incorporando a internet aos canais de atendimento, no ato da venda e também no pós-venda.

Pensando nessa transformação de consumo, o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) foi atrás dos internautas e procurou saber como é a relação deles com dispositivos móveis para fazer compras. Confira os resultados:

 

Brasileiro pegou gosto!

– 59% dos internautas já fizeram ao menos uma aquisição por aplicativo, sendo que 27% compraram várias vezes.

– 39% já utilizaram o WhatsApp para comunicar-se com o vendedor num processo de compra.

 

Por que comprar por aplicativos?

35% mencionam a facilidade de acesso.

27% julgam ser mais prático.

14% encontram os melhores preços e ofertas do mercado.

 

Apps mais usados para compras

Compra e venda de produtos usados (46%).

Serviços de motorista particular (45%).

Lojas varejistas nacionais (42%).

Ofertas e descontos (31%).

Serviços de streaming (31%).

 

Principais produtos comprados com auxílio do WhatsApp

Delivery de comida (23%).

Vestuário, calçados e acessórios (22%).

Cosméticos e perfumes (15%).

Acessórios para celular, tablet ou computador (15%).

 

Fique de olho, lojista!

78% dos entrevistados consideram importante que as empresas disponibilizem essa ferramenta para comunicação com os clientes.

40% nunca viram nenhum vendedor ou loja oferecer esse canal de comunicação.

shares