14ª edição

Animais de estimação ganham status de membro da família e movimentam um mercado bilionário no país. Pesquisa do SPC Brasil faz um raio x sobre o consumo no mercado pet

Por Vinicius Bruno

 

dog428

Alimentos naturais, como biscoitos orgânicos e livres de substâncias transgênicas, planos de saúde que cobrem desde consultas a cirurgias de alta complexidade, spas com massagem antiestresse e tratamentos estéticos de todo tipo. A rotina é de ser humano, mas essa é uma pequena lista de alguns dos serviços que estão virando tendência entre animais de estimação.

Apesar da crise econômica, o mercado de produtos para cães e gatos está em franco crescimento no Brasil, abrindo oportunidades de negócios para diversos ramos da economia.

Com uma população de animais de estimação que já ultrapassa 130 milhões, o país representa, hoje, o terceiro maior mercado pet em faturamento, atrás apenas dos Estados Unidos e do Reino Unido, segundo dados da Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet).

O Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) fez um raio x sobre o consumo no mercado pet no Brasil. Confira os principais dados.

 

76% dos consumidores on-line possuem animal de estimação, sendo os mais comuns cachorros (79%), gatos (42%) e pássaros (17%). [ SUGESTÃO DE OLHO]

 

Gastos financeiros 

– Gastos com pets giram em torno de R$ 190 por mês.

– Apenas 8% dos entrevistados associam seus animais de estimação a gastos financeiros.

– Na hora das compras, um terço (33%) dos proprietários opta por itens que vão além do básico.

– 21% nunca deixam de comprar algo para seus animais de estimação por falta de dinheiro.

– Mais da metade (52%) dos entrevistados só alimenta seus animais de estimação com rações da linha premium.

 

Compras vão além do básico

– Os produtos e serviços mais adquiridos no dia a dia para cuidados com cães e gatos são as rações (88%), seguidas dos xampus e condicionadores (57%), petiscos (52%), medicamentos e vitaminas (50%) e brinquedos (44%).

 

Outros serviços realizados constantemente e que merecem destaque são:

– Tratamentos estéticos (13%).

– Gastos com passeadores de cachorros (13%).

– Tratamentos dentários (9%).

– Tratamentos contra obesidade (8%).

– Acompanhamento comportamental (8%).

– Adestramento (7%).

– Idas a creches (7%).

– Os principais sonhos de consumo dos donos de pets são plano de saúde (33%) e serviços de spa (23%). Muitos não os fazem por falta de dinheiro.

 

Consumidor pet é engajado atrás de informações

– 41% dos donos de pets participam de eventos e comunidades ligados ao universo pet, seja por meio de redes sociais (29%), seja de encontros presenciais (10%).

– Na hora de buscar informações para cuidar do pet, as referências mais comuns são o veterinário de confiança (61%), sites especializados (47%), amigos ou familiares (32%) e redes sociais (32%).

 

Na hora de cuidar do pet, as prioridades são:

– Alimentação saudável (79%).

– Cuidados com a saúde (79%).

– Conforto para dormir (58%).

– Passeios (55%).

– Atividades físicas (47%).

– Banhos em casa (46%).

 

 

Consumidor prioriza espaços pet friendly

– Para os entrevistados, os aspectos negativos de ter um pet são não ter com quem deixá-lo quando viajam (53%) e a sujeira em casa (47%).

– Seis em cada dez (62%) entrevistados sentem falta de espaços públicos que permitam a permanência de pets com os donos, como restaurantes, lojas, shopping centers etc.

– 46% dão preferência a lugares que permitem a presença de pets.

shares