4 de janeiro de 2019
Um propósito para o Imposto de Renda
Marina Bártholo por Marina Bártholo

É possível doar sem gastar e transformar a vida de crianças, direcionando o dinheiro do leão para projetos sociais

Pagar Imposto de Renda pode não agradar muita gente, mas a chance de escolher para onde vai a contribuição pode agregar uma boa motivação a esse dever anual. Por meio do Fundo dos Direitos da Criança e do Adolescente (FDCA) e da Lei Rouanet, é possível direcionar parte do imposto a pagar para projetos sociais. Essa escolha pode mudar o futuro de muitas crianças.

As doações sem gasto podem não fazer diferença no bolso de pessoas físicas ou jurídicas, mas representam boa parte do orçamento de organizações que dependem de doações. O Programa Criança para o Bem é um exemplo disso. Pelo menos 25% dos gastos são cobertos com recursos arrecadados via Imposto de Renda.

O Criança para o Bem oferece aulas de balé e instrumentos musicais, formação de orquestra, coral, artes marciais, artesanato, esportes, línguas, além de oficinas de acompanhamento escolar e acesso à leitura. São atendidas 180 crianças em situação de vulnerabilidade social, com idade entre quatro e 16 anos, moradoras de três regiões do Distrito Federal. Elas participam de atividades de segunda a quinta-feira, no contraturno escolar. O projeto também garante o lanche, o transporte para as aulas e atendimentos médicos e odontológicos.

Como o próprio nome sugere, dedica-se a formar cidadãos que pratiquem o bem. Criado pela Escola de Filosofia Nova Acrópole, há dez anos, o programa utiliza a filosofia como fio condutor para incentivar a reflexão, o conhecimento e atitudes conscientes. A cada bimestre, uma nova virtude é apresentada para as crianças, que são incentivadas a colocá-las em prática. Elas aprendem o significado de cada uma e como elas se aplicam. Durante as oficinas, produzem exercícios e colocam em ação.

Para que os aprendizados se perpetuem para além do convívio na escola, os familiares das crianças são contemplados pelo programa. Em reuniões mensais, participam de palestras e práticas que auxiliam na educação das crianças em casa. Também têm acesso a atendimentos médicos, cestas básicas e oferta de algumas oficinas, como de educação financeira, artesanato e um grupo de apoio.

Doar sem gastar

Tudo isso que o Criança para o Bem oferece é possível pela dedicação da equipe de voluntários, que colaboram com a coordenação, oficinas, atendimentos e manutenção do projeto. Doações mensais ou eventuais e arrecadações via Imposto de Renda possibilitam pagar os custos. “Com os repasses da Lei Rouanet, em 2018, pudemos pagar os instrutores de balé e parte dos instrutores de música, comprar uniformes, instrumentos musicais e material de apoio e produzir material de divulgação”, enumera Luiza Koshino, uma das coordenadoras.

Além da Lei Rouanet para subsidiar as atividades de artes, o programa foi aprovado para receber recursos para esportes via FDCA. Todavia, esses registros não garantem a arrecadação. Pessoas e empresas precisam se prontificar a direcionar até 6% do imposto a pagar para o projeto no momento da declaração. O empresário Luciano Fernandes é um dos doadores de imposto para o Criança para o Bem. “Faço questão de direcionar meu Imposto de Renda para o projeto, porque assim eu sei como a minha contribuição está sendo aplicada. Tive a chance de conhecer o programa de perto, por isso sei que vale a pena”, afirma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *