1 de outubro de 2019
Sua marca vende o quê?
Varejo SA por Varejo SA

Se a sua resposta foi o nome de algum produto, você precisa conhecer o marketing sensorial

Você já sabe que o marketing é fundamental para qualquer negócio, seja para tornar a sua marca reconhecida, seja para conquistar e fidelizar clientes ou até mesmo criar um diferencial de experiência para o consumidor. De acordo com a pesquisa Digital Adspend 2018, realizada pelo Interactive Advertising Bureau (IAB Brasil), no ano passado foram movimentados R$ 14,8 bilhões pela publicidade, número 25,4% maior em relação ao ano anterior. Mas, diante de tantas possibilidades, qual estratégia utilizar? Sabemos que o consumidor está cada dia mais exigente e que só oferecer um produto de qualidade não é mais suficiente, é preciso oferecer a experiência completa. Por isso, investir no marketing sensorial nos pontos de venda pode ser uma boa estratégia.

O marketing sensorial busca explorar os cinco sentidos do corpo humano – visão, paladar, olfato, audição e tato –, com o objetivo de tornar a experiência do consumidor marcante e prazerosa e, de maneira subliminar, criar um elo emocional entre ele e a marca.

Existem diversas formas de explorar essa estratégia, desde as mais simples até as mais complexas. A marca Criamigos – Oficina de Personalização de Pelúcias explora todos os sentidos do consumidor utilizando técnicas relativamente simples. A sócia fundadora, Veronicah Sella, conta que a loja é toda sinestésica e todos os detalhes são trabalhados com muito carinho: “Utilizamos o marketing sensorial em quase tudo na Criamigos, desde a marcenaria até a posição dos produtos”.

Ela explica que, desde o primeiro momento, a loja foi desenhada para explorar os sentidos. “Organizamos o espaço por ‘estações’, com mobiliário, pisos e prateleiras planejados para dar a sensação de aconchego”, conta. Para proporcionar uma experiência olfativa, a marca desenvolveu um aroma único, que remete à doçura e acolhimento, buscando trazer memórias da infância do cliente. Para explorar a audição, a loja conta com uma playlist com músicas da infância atual e antiga, também com o objetivo de tornar o ambiente agradável e levar boas lembranças a todos os públicos que passam por ali.

Todas essas experiências conquistam o consumidor, mas Veronicah diz que, no caso da Criamigos, é no tato que a taxa de conversão em vendas tende a aumentar, pois o convidado pode pegar as pelúcias, tocar, sentir, abraçar e, então, criar um vínculo com aquele item. 

A empresária reforça que a qualidade do produto não é mais um diferencial, é o mínimo que o consumidor espera. Lembra que e-commerces podem ofertar os mesmos produtos que a sua loja, por isso “o seu ponto de venda precisa ser um ponto de experiência.


É necessário desenvolver ações inovadoras, que transpareçam o cuidado e o carinho que seu negócio deposita na relação com o cliente, para, então, desenvolver conexões emocionais entre a marca e o consumidor”.

Veronicah Sella, da Criamigos

Na Criamigos, as crianças podem escolher o tipo de pelúcia, acompanhar de perto o processo de encher o bichinho e deixá-lo fofo, escolher as roupas e acessórios e, no fim, receber a certidão de nascimento. Veronicah afirma que é esse “ritual” que fica na memória do cliente e faz com que ele volte e recomende a loja a outras pessoas. “Comprovamos esse impacto quando as crianças voltam para adquirir mais itens e acessórios para seus Criamigos, quando os consumidores compartilham suas experiências e dia a dia pelas redes sociais com a hashtag da marca e quando levam amigos e familiares para que também possam viver aquela experiência”, conta. Em outras palavras, um marketing sensorial com propósito e bem executado gera o que há de mais forte para uma marca: o boca a boca positivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *