8 de janeiro de 2018
Pesquisa aborda modelos de financiamento para micro e pequenas empresas
Varejo SA por Varejo SA

Estudo revela caminhos e possibilidades disponíveis para que essas empresas consigam alavancar seus negócios

Por Renata Dias

book

Está disponível mais uma publicação realizada no âmbito do Programa Nacional de Desenvolvimento do Varejo (PNDV). Estudos de Modelos de Financiamento para Micro e Pequenas Empresas (MPEs) aprofunda a discussão sobre o sistema de financiamento às MPEs no Brasil e alternativas que se desenham para atender às suas demandas. A publicação responde a um dos principais objetivos do programa: promover melhoria do ambiente de negócios e aceleração do desenvolvimento de vantagens competitivas nas MPEs do setor varejista.

Fruto de um convênio técnico-financeiro firmado entre a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), o PNDV passou por 16 estados brasileiros ao longo do ano de 2017, envolvendo a participação de mais de dois mil empresários, líderes do Sistema CNDL e representantes do poder público.

De autoria dos professores Amilton Machado, Adriana M. Costa e Andréa Costa, com revisão técnica de Éverton Chaves Correia, a publicação traça um estudo do ponto de vista da oferta e demanda por crédito no Brasil e no exterior, abordando desde linhas tradicionais ofertadas por grandes instituições financeiras até opções inovadoras, como fintechs e crowdfunding. Outro aspecto tratado, restrito ao caso brasileiro, é a legislação e regulação envolvidas em cada um dos tipos de financiamento.

Com o documento, o leitor consegue obter informação fundamentada que viabiliza a tomada de decisão mais consciente na busca de crédito. O estudo traça um desenho do papel do microcrédito ao redor do mundo e destaca que, em mercados mais maduros, existe uma presença mais significativa de fontes de financiamento privadas, em conjunto com as fontes públicas. A restrição de financiamento é mais grave nos países menos desenvolvidos, onde os mercados financeiros não são bem desenvolvidos, os quadros regulamentares e legais são fracos, as assimetrias informacionais são persistentes e os sistemas de gerenciamento de riscos não são tão robustos.

Um dos principais motivos para a recusa de crédito às MPEs é a ausência de garantias reais exigidas pelos ofertantes de crédito. No capítulo “Papel do microcrédito no Brasil e no mundo”, a pesquisa detalha um modelo bem elaborado de rede de garantias que tem como ator principal o governo do Japão. O país asiático dispõe de um sistema de garantias integrado, em um marco regulatório amplo de medidas públicas de apoio à pequena e média empresa, tendo uma estrutura única no mundo, que engloba mecanismos inter-relacionados suportados por 50 corporações de garantia de crédito.

Uma alternativa aos bancos tradicionais no Brasil para as MPEs consiste nas cooperativas de crédito, que, por sua característica, detêm uma visão distinta dos bancos, uma vez que essas instituições não visam ao lucro e se destinam a atender aos interesses dos seus cooperados. Além disso, são responsáveis pela garantia do equilíbrio entre a oferta de crédito e a demanda dos cooperados.

Fontes inovadoras

Outras possibilidades vêm apresentando um potencial significativo para mudar o ambiente em que as MPEs estão inseridas, bem como para alterar as características do sistema financeiro global. Trata-se das fontes inovadoras de crédito, representadas na publicação por meio das fintechs e crowdfunding. Essas instituições enxergam nas MPEs um mercado com grande potencial de expansão. Contudo, as empresas tradicionais no sistema financeiro global têm observado esse movimento e é possível enxergar uma reação. A resposta vem por meio da aquisição dessas instituições inovadoras, utilizando operações de capital de risco, private equity ou mesmo criando organismos internos com as mesmas características dessas instituições inovadoras, utilizando ferramentas tecnológicas idênticas.

Uma das conclusões da pesquisa é a comprovação de que existe uma diversidade de alternativas para financiar micro e pequenos negócios, mas é fundamental estar bem informado para tomar a decisão mais adequada para cada perfil de negócio.

 

No estudo, encontram-se detalhamentos, em linguagem objetiva e simples, sobre os seguintes temas:

– Crédito bancário para as MPEs, abordando as linhas de financiamento e custos financeiros.

– Meios de pagamento no Brasil.

– Cooperativas de crédito, contemplando o marco existente e propostas de modificação.

– Fundos de investimento e seu papel na expansão das MPEs, apresentando a evolução das experiências nos Estados Unidos, União Europeia e Brasil.

– Papel do microcrédito no Brasil e no mundo.

– Instituições inovadoras ofertantes de crédito, tendo como referências principais as fintechs, o crowdfunding e empresa simples de crédito.

Confira a publicação na íntegra no site do PNDV: http://pndv.org.br/.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *