14 de outubro de 2019
Outubro, o mês da CNDL
Varejo SA por Varejo SA

Entidade comemora 59 anos com conquistas e desafios

O mês de outubro marca a comemoração do aniversário da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). Desde que foi criada, em 21 de outubro de 1960, a entidade acompanha o movimento do comércio, do crédito e da política no Brasil. Surgida a partir da expansão dos Clubes dos Dirigentes Lojistas, seu principal desafio é congregar nacionalmente as necessidades do comércio e desenvolver a livre-iniciativa, sempre representando os interesses dos lojistas.

A tarefa vem sendo cumprida à risca. De fato, a CNDL sempre se posicionou ao lado de bandeiras importantes para o desenvolvimento do Brasil e do varejista. Ao longo de 59 anos, foram muitas as batalhas no campo político e econômico e as vitórias, grandiosas. Foi assim na luta contra a CPMF em 2007, na criação da Frente Parlamentar do Varejo e na quebra do duopólio da indústria de máquinas de cartões de crédito, ambas em 2010.

“Quando olhamos para trás é que percebemos a real dimensão da CNDL”, diz seu presidente, José César da Costa. Para ele, a atuação que a entidade vem tendo como representante das 27 federações que compõem o Sistema CNDL mostra que a instituição está mais forte do que nunca.

“Acho que a confederação chegou ao seu amadurecimento institucional”, afirma. “Veja nossa participação em decisões como a aprovação do Cadastro Positivo, as mobilizações em torno da reforma da previdência, o trabalho de aprovação da Medida Provisória da Liberdade Econômica. Hoje, somos reconhecidos como atores importantes nas grandes decisões nacionais”.

O vice-presidente da CNDL, Ivan Tauffer, concorda e lembra os esforços da entidade em acompanhar as mudanças impostas pelo tempo. “Nos últimos anos, nos preparamos para mudanças significativas no comércio, como a Lei Geral de Proteção de Dados e as novas tecnologias que fomentam o setor”, avalia.

No próximo ano, quando a CNDL completar 60 anos, está programada a criação do projeto Memória, que pretende colher depoimentos e organizar arquivos para o futuro Memorial do Varejo, com sede em Brasília. “A ideia é ter um espaço, mesmo que modesto, onde o varejista possa reconhecer sua história e sua importância para o país”, diz Costa.

Para Tauffer, fazer parte da CNDL também inclui a manutenção dos valores da entidade. “É um orgulho fazer parte dessa história e honrar o desafio de ajudar a desenvolver uma entidade que é referência para o associativismo de todo o país”, conclui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *