11 de junho de 2019
Conveniência é conceito-chave para o varejo do futuro
Patrícia Marins Miriam Moura por Patrícia Marins Miriam Moura

A poucos passos da movimentada Avenue des Champs-Élysées, em Paris, há uma simpática “lojinha” que lembra um clássico bistrô francês, com toldo vermelho e aqueles cavaletes com lousa, em que está escrito o menu do dia, com receitas familiares. É o modelo de estabelecimento culinário que se tornou sinônimo da França em todo o mundo.

Essa é a nova loja-conceito Le 4 Casino, do grupo francês Casino, que oferece um local para comer, relaxar e fazer compras, com a ajuda de serviços digitais. É um match perfeito: um supermercado gourmet, charmoso, amigável, onde, ao alcance de sua mão, estão produtos de mercearia gourmet, itens orgânicos e veganos, espaço para coworking e uma pequena adega inteligente de vinhos (nacionais, claro).

Parece a receita perfeita para um ramo do varejo que precisa aprofundar a experiência de proporcionar conveniência nas compras do dia a dia com inovações digitais. Em parceria com a Cdiscount, o Casino gourmet, como é chamado pelos locais, usa a tecnologia digital para aprimorar as compras diárias.

O espaço é dividido em três andares e oferece, além de produtos locais, orgânicos e snacks, espaço gratuito de coworking, que parece o living de um apartamento descolado e moderninho.

Da vitrine, dá para ver o display digital de realidade aumentada que oferece a experiência ao consumidor, mesmo antes de ele entrar na loja. As compras podem ser feitas em uma parede digital (picking wall), com acesso ao portfólio da loja on-line e opção de entrega em domicílio.

Desenvolvido em parceria com start-ups e marcas internacionais, o conceito da loja consegue trazer a experiência de um espaço comfort bistrô, com inovações de tecnologia digital, tudo com uma pegadinha retrô.

O varejo, como qualquer business nos tempos atuais, tem que estar em constante renovação, buscando experiências imersivas que se traduzam em conveniência ao consumidor.

O conceito “grab and go” das lojas Amazon Go (pegue e vá embora, sem passar pelo caixa) tem grande potencial de se alastrar mundialmente, mas o sotaque francês trouxe uma pitada gourmet ao ramo do varejo alimentício. A loja conceitual da Amazon utiliza visão computacional, sensor fusion e deep learning, combinações de tecnologias alimentadas por informações capturadas pelos sensores. A versão parisiense segue essa linha, mas mescla às inovações da tecnologia os tradicionais símbolos visuais físicos (como o toldo vermelho e a lousa com o menu escrito a giz na calçada). C’est très français!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *