1 de setembro de 2016
O pior da crise ficou para trás
Varejo SA por Varejo SA

[sc name=”titulo-secao-app” cor=”#17346C” titulo=”O aumento da confiança dos micro e pequenos empresários é um reflexo da conjuntura atual: realismo quanto à economia, mas com boas expectativas para o futuro.”]

[sc name=”img-chart-app” caminho=”http://revistavarejosa.com.br/wp-content/uploads/2016/09/1-chart-juros-cheque.png” alt=”” legenda=”Juros Cheque Especial (Banco Central)”]
[sc name=”img-chart-app” caminho=”http://revistavarejosa.com.br/wp-content/uploads/2016/09/1-chart-credito-concedido.png” alt=”” legenda=”Crédito Concedido/PIB (Banco Central)” ]
[sc name=”img-chart-app” caminho=”http://revistavarejosa.com.br/wp-content/uploads/2016/09/1-chart-selic.png” alt=”” legenda=”SELIC (Banco Central)” ]
[sc name=”img-chart-app” caminho=”http://revistavarejosa.com.br/wp-content/uploads/2016/09/1-chart-indicador-confianca.png” alt=”” legenda=”Indicador de Confiança MPE (SPC Brasil/ CNDL)” ]
[sc name=”img-chart-app” caminho=”http://revistavarejosa.com.br/wp-content/uploads/2016/09/1-chart-otimistas-economia.png” alt=”” legenda=”Otimistas com a economia (SPC Brasil / CNDL)” ]

[blockquote author=”Roberto Troster, Economista” link=”” target=”_blank”]No momento atual, a expansão de crédito atua como um freio, mas tem condições de atuar como um acelerador. Não é mais crédito, mas sim crédito melhor. Isso implica numa mudança de modelo de negócio dos bancos e na política bancária. É uma agenda extensa que inclui mudanças em transparência, precificação, gestão de liquidez, cadastro positivo, tributação e reestruturação de dívidas, entre outros.[/blockquote]

[sc name=”img-chart-app” caminho=”http://revistavarejosa.com.br/wp-content/uploads/2016/09/1-chart-juros-cartao.png” alt=”” legenda=”Juros Cartão de Crédito (Banco Central)”]
[sc name=”img-chart-app” caminho=”http://revistavarejosa.com.br/wp-content/uploads/2016/09/1-chart-otimistas-negocios.png” alt=”” legenda=”Otimistas com os negócios (SPC Brasil / CNDL)” ]

[blockquote author=”Roberto Troster, Economista” link=”” target=”_blank”]Além de ter uma prática em sintonia com o discurso, o  governo deveria atuar na reforma do crédito que é o grande empecilho para a retomada da economia.[/blockquote]

[sc name=”img-post-app” caminho=”http://revistavarejosa.com.br/wp-content/uploads/2016/09/1-chart-table-confianca.png” alt=”” ]

[blockquote author=”Honório Pinheiro, CNDL” link=”” target=”_blank”]Com a expectativa de resolução da crise política, a retomada da agenda econômica e os primeiros indicadores de estabilização da economia, deve haver a retomada da confiança dos empresários.[/blockquote]

A confiança avançou 20,6% na comparação entre julho desse ano e o mesmo mês do ano passado, passando de 37,06 pontos para 44,72 pontos, em uma escala em que 100 pontos é o máximo de confiança na economia e nos seus próprios negócios. Foi o maior patamar em 15 meses de série histórica.

[sc name=”img-post-app” caminho=”http://revistavarejosa.com.br/wp-content/uploads/2016/09/1-varejo-numero-confianca.png” alt=”” ]

[blockquote author=”Marcela Kawauti, SPC Brasil” link=”” target=”_blank”]Se por um lado os indicadores econômicos ainda se encontram em um patamar negativo e demonstram baixa atividade econômica, por outro a leve melhora que os números observam a cada mês é um sinal de que a conjuntura pode finalmente sair do pessimismo que se encontra nos últimos dois anos de recessão.[/blockquote]

[sc name=”img-post-app” caminho=”http://revistavarejosa.com.br/wp-content/uploads/2016/09/1-chart-table-otimismo.png” alt=”” ]

42,5% dos micro e pequenos empresários manifestam confiança para os próximos seis meses em relação ao desempenho da economia, enquanto 21,5% manifestam pessimismo – e a crise política aparece como razão tanto para o otimismo quanto para o pessimismo, seja pelo esperado término ou pela falta de esperança que a situação irá melhorar.

53,5% dos micro e pequenos empresários manifestam confiança para os próximos seis meses em relação ao desempenho de seus negócios, enquanto 17,5% manifestam pessimismo.

[sc name=”img-post-app” caminho=”http://revistavarejosa.com.br/wp-content/uploads/2016/09/1-chart-table-economia.png” alt=”” ]

[blockquote author=”Marcela Kawauti, SPC Brasil” link=”” target=”_blank”]A confiança nos rumos da economia é um dos principais requisitos para o crescimento sustentável do Brasil. Se há otimismo, os empresários estão mais dispostos a assumir riscos para ampliarem seus negócios e contratar mais funcionários.[/blockquote]

[sc name=”img-post-app” caminho=”http://revistavarejosa.com.br/wp-content/uploads/2016/09/1-chart-table-negocio.png” alt=”” ]

[blockquote author=”Roberto Troster, Economista” link=”” target=”_blank”]Mais confiança se reflete em mais investimentos, mais compras, mais contratações e mais crédito. Todavia, o aumento da confiança depende de ações objetivas dos condutores da política econômica.[/blockquote]

Quatro em cada dez esperam a recuperação da economia através da queda da inflação e aumento do emprego, 14,3% garantem que estão investindo no negócio para enfrentar a crise e por isso estão confiantes e 9,1% dizem estar fazendo uma gestão profissional do negócio e acreditam que isso ajudará.

[sc name=”img-post-app” caminho=”http://revistavarejosa.com.br/wp-content/uploads/2016/09/1-varejo-numero-mapa.jpg” alt=”” ]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *