10 de julho de 2018
O desafio da logística
Varejo SA por Varejo SA

No fim de maio, a greve dos caminhoneiros conseguiu parar o país por pouco mais de uma semana. As consequências para a economia serão ainda sentidas por um bom tempo, seja no aumento da inflação, seja na queda do Produto Interno Bruto (PIB).

A Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) estimaram, no fim de maio, que os setores de comércio e serviços deixaram de faturar, aproximadamente, R$ 27 bilhões. O crescimento do PIB será menor do que o inicialmente esperado para 2018 e poderá ser revisto para algo perto de 2%, inclusive com resultado negativo no consolidado do segundo trimestre.

É fato: se as estradas param, o Brasil não caminha. Por parte do comércio varejista, passamos por crises de abastecimento em vários estados e, no e-commerce, a circulação de mercadorias ficou estagnada, regularizando-se aos poucos. Vários setores da economia, como o agronegócio, tiveram prejuízos.

Apesar das dificuldades pelas quais todos passamos, os caminhoneiros manifestaram-se por questões importantes e que afetam diretamente o nosso setor. A paralisação jogou luz sobre a dependência que o nosso país tem das rodovias e dos caminhões para o transporte de cargas. Também cumpriu o papel de chamar a atenção de todos os brasileiros para o peso que os tributos exercem sobre o valor final dos combustíveis, parte considerável do custo de cada frete.

Embora não seja possível resolver a questão em curto prazo, não há mais como o governo federal fechar os olhos para a necessidade de investimentos em novos modais, como ferrovias e hidrovias, para trajetos longos de mercadorias como soja, cimento, minérios e até combustíveis, deixando para os caminhões o trabalho em percursos mais curtos, aos quais é complexo chegar usando outros meios de transporte.

Para empresários e consumidores, essa crise foi uma grande oportunidade de aprendizado e resiliência. Esperamos que as negociações entre governo e caminhoneiros concluam-se de forma definitiva e sem contratempos, da melhor maneira para todos.

Por outro lado, tão bom como aprender com o passado é olhar para o futuro e ver o quanto precisamos estar antenados às novas tecnologias e suas implicações. Em vigor na Europa desde maio, o Regulamento Geral sobre Proteção de Dados (GDPR) vai afetar todas as empresas do mundo que, de alguma forma, têm negócios na União Europeia. No Brasil, vale lembrar, o Projeto de Lei nº 4.060/2012 tem teor semelhante, regulamentando o uso, a proteção e a transferência de dados pessoais no país. O texto foi aprovado na Câmara dos Deputados e aguarda apreciação no Senado.

Ainda no quesito inovação, vale ficar atento: pagamentos por meio de aplicativos mobile já são uma realidade no país e acabam de ganhar reforço, com a chegada do Apple Pay. E, se o mês é julho, o inverno está no auge e as férias escolares estão aí, oferecendo diversas oportunidades para faturar com essas datas.

Novidades não faltam nas próximas páginas. Fique atento e conte conosco!

Um abraço!

José César da Costa – Presidente da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *