11 de novembro de 2017
Novas medidas irão beneficiar ainda mais os pequenos empresários
Varejo SA por Varejo SA

Menos burocracia e mais incentivos estão dentro do pacote anunciado pelo governo

Por Carolina Laert

Nov_VarejoCidadao_MicroPequenas4

Por mais que seis brasileiros concentrem a mesma riqueza que a metade da população do país, é outro seleto grupo que realmente movimenta a economia – os micro e pequenos empresários. Eles, que representam 98% das 6,4 milhões de empresas brasileiras, são responsáveis por 27% do Produto Interno Bruto (PIB), além de gerar 60% dos empregos com carteira assinada, ou seja, dos quase cem milhões de trabalhos existentes no Brasil, 60 milhões são oferecidos pelo segmento.

Diante de tantos indicadores positivos, fica claro que os pequenos negócios são fundamentais para fomentar o desenvolvimento do país. Nesse sentido, o governo federal anunciou novas medidas para incentivá-los, como a oferta de R$ 9 bilhões em linha de crédito e a ampliação de ações de qualificação. O anúncio integrou as comemorações do Dia Nacional da Micro e Pequena Empresa, celebrado no dia 5 de outubro.

Outra ação anunciada foi a expansão do programa Instituição Amiga do Empreendedor, que qualifica e profissionaliza empresários, com o apoio de instituições de ensino. Segundo a empreendedora de Aracaju, Maria Jane da Silva, foram esses programas de incentivo ao micro e pequeno empresário que alavancaram seu negócio.

Maria Jane é proprietária do Pastel da Jane, uma das pastelarias mais famosas da capital sergipana. Sua história começou em 2008, com uma simples barraca na feira do Arai, na praia de Atalaia. “Naquela época, eu só vendia pastéis e caldo de cana, mas fui ganhando clientela e o negócio começou a crescer”, conta. Em 2009, decidiu se profissionalizar, procurou o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e fez diversos cursos de empreendedorismo. “Com o CNPJ na mão, tudo ficou mais fácil, inclusive na hora de conseguir crédito bancário”, relembra.

 

Do informal para o formal

Segundo o ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira, mais de 20% dos pequenos empreendedores pretendem contratar nos próximos 12 meses. Maria Jane diz se incluir nesse percentual, pois, ainda em outubro, irá abrir sua terceira loja e contratar cerca de dez pessoas.

“Começamos com três funcionários e agora nosso quadro conta com 50 colaboradores. Atendemos em média sete mil pessoas por mês e oferecemos um cardápio variado. Além de mais de 30 sabores de pastéis, temos outros produtos regionais. Meu negócio cresceu porque me profissionalizei, fiz um plano de negócio e, hoje, tenho até um software para controle de vendas e estoque de mercadorias”, finaliza.

Com as novas medidas de correção adotadas pelo governo, mais de 20 milhões de empresários podem ser beneficiados. Provas disso foram o Supersimples e o Crescer sem Medo, que criaram novas oportunidades para uma grande parcela de pequenos empresários.

 

Redução da burocracia

Outro assunto que deverá beneficiar os pequenos empreendedores é o Projeto de Lei Complementar nº 341/2017, que atualiza a Lei Geral da Micro e Pequena Empresa e prevê a criação das Empresas Simples de Crédito (ESCs). Se aprovada, a ESC possibilitará um maior acesso a financiamento e permitirá ao cidadão emprestar recursos para os pequenos negócios de sua comunidade, sem a participação do mercado financeiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *