20 de maio de 2019
Inovando na loja física
Patrícia Marins Miriam Moura por Patrícia Marins Miriam Moura

A revista Monocle de abril trouxe um especial sobre o varejo físico. A publicação britânica é prestigiada em todo o mundo por trazer temas variados com leveza e destaca-se por ser antenada a tendências no universo de descolados e bem-informados. De acordo com a publicação, a loja física está longe de desaparecer e a edição traz um conjunto de matérias com exemplos que justificam a existência, e resistência do comércio em diferentes cidades do mundo.

Nas entrevistas com CEOs varejistas de Tóquio, Hong Kong e Los Angeles é possível compreender como as inovações promovidas nos seus complexos comerciais estão traduzindo-se em lucros e aumento de movimento. O conjunto de matérias destaca a importância do comércio na revitalização de Valladolid, no México; a parceria entre lojistas e artistas em Bogotá; e novidades nas lojinhas de souvenirs na Grécia. Tudo para mostrar que o varejo físico está longe do fim, e se reinventa a cada dia, em vários lugares do mundo.

É claro que a transformação digital que o setor varejista vivencia não fica para trás. Por mais que uma estratégia digital seja fundamental para o sucesso de uma marca, a loja física também integra a potencialidade de uma experiência bem-sucedida de consumo. A era da multicanalidade chegou para ficar e para ajudar os interessados em abrir lojas por aí, a publicação traz algumas dicas.

A revista sugere repensar os pontos positivos de uma loja e buscar mentores e parceiros para trocarem ideias sobre as vantagens e desvantagens do comércio naquele local. Também é indicado avaliar o bairro de uma forma global e verificar com atenção a localização escolhida. Outra dica é fazer parcerias com os fornecedores da vizinhança.

Também é fundamental ter cuidado com a identidade visual da loja e trazer uma coerência entre a logo da marca e todos os demais itens visuais, como as etiquetas e embalagens de presentes. É recomendável também pensar em um equilíbrio entre espaços vazios e o mostruário, de uma forma que incentive o cliente a explorar e descobrir as peças, sem ser sufocado por elas. Investir em móveis decentes, de boa qualidade, dar atenção à iluminação, música e demais aspectos podem ser cruciais para encorajar o cliente a ficar mais tempo no interior da loja.

Loja física também precisa ter uma equipe bem treinada e coerente. Pode levar um pouco mais de tempo, mas vale a pena investir na qualificação do seu time para ter uma equipe motivada, atenciosa e gentil com os clientes. Inspire-se e arrique-se!  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *