23 de setembro de 2018
Governo formaliza Fórum de Competitividade do Varejo
Amanda Wall por Amanda Wall

O mês de agosto terminou com uma vitória para o setor varejista no âmbito do Poder Executivo. O Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) formalizou o Fórum de Competitividade do Varejo (FCV), grupo de discussão formado por representantes da Secretaria de Comércio e Serviços (SCS) do MDIC e do setor varejista. A efetivação torna as reuniões periódicas e estabelece o caráter consultivo do FCV, cuja função é propor ações para melhorar o ambiente de negócios, a competitividade e a produtividade do setor varejista brasileiro.

O ministro Marcos Jorge e o secretário Douglas Finardi assinam a portaria que formaliza o FCV

Na cerimônia de assinatura da portaria que institui o fórum, o ministro da pasta, Marcos Jorge, e o secretário de Comércio e Serviços, Douglas Finardi, ouviram os representantes das entidades que compõem o grupo, entre as quais está a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). “O FCV é um canal fundamental de diálogo entre os entes do setor de comércio e serviços e o Poder Executivo. A formalização dessa via de trabalhos permitirá que as demandas do Sistema CNDL sejam encaminhadas de forma mais efetiva, para termos, de fato, iniciativas de fomento ao crescimento da economia brasileira”, afirmou o superintendente da CNDL, Marco Antônio Corradi.

De acordo com o ministro Marcos Jorge, a instituição formal do FCV garantirá a continuidade de debates e ações que já ocorrem desde 2015. O ministro lembrou que, somente no primeiro semestre deste ano, o setor de comércio e serviços foi responsável por 73,4% do valor adicionado ao Produto Interno Bruto (PIB) do país. “O setor terciário está no centro do debate sobre produtividade e competitividade, em virtude de sua importância para o setor empresarial e o encadeamento produtivo brasileiro”, disse o ministro, ao citar dados do Ministério do Trabalho que apontam o setor como responsável por 67,8% das carteiras assinadas hoje no país.

O setor une-se – O FCV é coordenado pela SCS e atua para promover o diálogo e a articulação entre os setores público e varejista. Para Finardi, sua formalização é “um passo importante para que os varejistas avancem de forma consistente e o setor se torne cada vez mais produtivo e competitivo”.

Além da colaboração de parceiros eventuais, como o Banco Central, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e os Ministérios da Fazenda, do Trabalho e do Desenvolvimento Social, 20 entidades fazem parte do grupo. O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) também integram as reuniões do FCV, mas sem direito a voto.

Temas relevantes para o setor, como meios de pagamento, modernização da legislação trabalhista e desafios trazidos pelo comércio eletrônico, são discutidos nas reuniões. “O Sistema CNDL representa mais de duas mil entidades em todo o país, o que significa mais de um milhão de pontos de venda. O FCV é essencial para apoiar o desenvolvimento desses micro e pequenos empreendedores, fomentar a criação de novos negócios e movimentar a economia”, acredita Corradi.

Próximos passos – A partir de agora, a Secretaria Executiva do MDIC irá compilar as demandas prioritárias de cada entidade que integra o FCV para chegar aos pontos convergentes do setor. Serão realizadas entrevistas pessoais e virtuais com as entidades para identificar uma agenda temática para o período de 2019 a 2022.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *