6 de março de 2020
Garimpo histórico
Varejo SA por Varejo SA

CNDL dá início à pesquisa que vai levantar a história da instituição

Mais um passo foi dado em direção às comemorações dos 60 anos da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). Depois do lançamento do selo comemorativo da data, em janeiro, chegou a vez de iniciar os trabalhos de recuperação da memória da instituição. Para isso, uma empresa foi contratada para fazer a investigação histórica da entidade.

A pesquisa foi iniciada no dia 10 de fevereiro, quando o presidente da CNDL, José César da Costa, se reuniu com representantes de uma empresa especializada em gestão documental e memória empresarial e cujo trabalho já resultou em projetos como livros, sites, gestão de arquivos, museus e memoriais.

O encontro, que aconteceu na sede da CNDL, contou com a participação da equipe de Projetos e Eventos e de comunicação da entidade. Caberá às duas áreas coordenar os trabalhos de pesquisa.

Segundo a sócia diretora da empresa, Juliana Bueno, a ideia é resgatar os momentos mais marcantes da CNDL contidos nos arquivos, atas, jornais e revistas. “Nossa especialidade é fazer pesquisa histórica focada na trajetória das empresas”, explicou. “Buscamos valorizar o que as entidades têm de melhor e especial, que muitas vezes está escondido em arquivos mortos”.

Para Juliana, a história da CNDL praticamente se mistura com a do varejo moderno brasileiro. “Vocês têm um caminho muito interessante, que acompanha o desenvolvimento da economia, da política e dos hábitos de consumo no Brasil”, disse a Costa.

Para realizar o trabalho, além da utilização do material que a entidade já possui, os pesquisadores vão mergulhar nos arquivos dos estados, institutos históricos e centros de documentação de periódicos. A empresa vai complementar os registros com entrevistas e depoimentos feitos com personagens ligadas à entidade. “A ideia é falar com testemunhas vivas da história da instituição, como os fundadores e os colaboradores, que nos ajudarão a tecer a trama que constitui a CNDL”, relatou.

Segundo o presidente da CNDL, este é o momento ideal para a entidade organizar sua memória. “Para a CNDL, que já se encontra no auge da sua maturidade institucional, a recuperação e preservação da sua memória tornaram-se uma missão inadiável”, disse. “Temos o dever de garantir aos nossos associados e àqueles que nos sucederão a preservação de uma história de luta e desenvolvimento do nosso setor”.

Memorial do Varejo

Outo projeto de grande valor para a CNDL é a construção do Memorial do Varejo, um espaço dedicado à história do setor no Brasil, edificado em uma área do Plano Piloto de Brasília.

As tratativas para a definição do local do prédio foram iniciadas no ano passado e tiveram continuidade no dia 10 de fevereiro, em um encontro do presidente da CNDL, José Cesar da Costa, e o presidente da CDL-DF, José Carlos Magalhães Pinto, com o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha.

Na reunião, que aconteceu no Palácio do Buriti, em Brasília, foram discutidas as comemorações dos 60 anos da CNDL e o projeto do Memorial do Varejo, que terá a sua pedra fundamental lançada neste ano, como parte das ações de celebração do aniversário da entidade.

Costa lembrou que Brasília e a CNDL têm a mesma idade e, juntas, foram fundamentais para o desenvolvimento do varejo. “Nesses 60 anos, a CNDL atuou como representante do setor e a capital, como a sede das grandes decisões nacionais”, disse. Segundo ele, o nascimento da cidade e da CNDL remontam ao período em que o Brasil vivia um grande otimismo. “Não acho uma mera coincidência. Acredito que o desejo de um país moderno, livre e próspero de Juscelino Kubistchek encontrava eco no espírito daqueles que fundaram da CNDL”, relatou, lembrando o presidente fundador da capital federal.

O governador recebeu com entusiasmo a visita e disse que Brasília está aberta para acolher projetos que tenham importância cultural e artística. “Estamos sempre disponíveis para os projetos que engrandecem a cidade, seja como ponto turístico, seja como projeto gerador e de emprego e renda”, disse.   

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *