7 de janeiro de 2020
FCS celebra ano de conquistas
Varejo SA por Varejo SA

A Frente Parlamentar de Comércio, Serviços e Empreendedorismo (FCS) encerrou os trabalhos de 2019 em um almoço que reuniu parlamentares e representantes do setor produtivo, em Brasília. Na ocasião, o deputado Efraim Filho (DEM-PB), presidente da FCS, destacou o momento vivido pela democracia brasileira e, com otimismo, disse que havia muito a comemorar no fim de ano.

“Tivemos um ano de vitórias em agendas macroeconômicas, com a aprovação, por exemplo, da reforma da previdência, que deu vigor a investidores e ao mercado interno e externo, além de colocar o Brasil no rumo do desenvolvimento, e microeconômicas, como a Lei da Liberdade Econômica, que aponta nortes para o exercício dos negócios no Brasil. Estamos caminhando para um Brasil construído pela sociedade, com protagonismo do Legislativo”, declarou.

O deputado destacou ainda a relação da FCS com o setor produtivo brasileiro, definindo a frente como um canal de comunicação entre os empresários e o Parlamento. “A Unecs [União Nacional de Entidades do Comércio e Serviços] tem feito um trabalho essencial de agenda e posicionamento. Sentíamos carência disso, de que eles tivessem vez e voz. O debate dos grandes temas nacionais, principalmente no setor de comércio e serviços, hoje tem embasamento”, disse.

O presidente da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), José César da Costa, afirmou no encontro que a Unecs tem tido um papel relevante no Congresso. Já o secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos da Costa, definiu 2019 como um ano de trabalho conjunto e citou algumas das pautas emblemáticas para o setor de comércio e serviços: o Cadastro Positivo, a Empresa Simples de Crédito, a reforma da previdência e a Lei da Liberdade Econômica. “Juntos, nós estamos transformando o Brasil”, apontou.

Também destacou dois marcos do que chamou “um novo Brasil”: o diálogo do governo com o Congresso Nacional e o setor produtivo e a luta para que o empresário não seja mais tratado como vilão, mas tenha orgulho da atividade que exerce. “Estamos abertos para construir um país convergente, democrático e de diálogo”, salientou.

Por fim, citou objetivos para 2020: melhorar o ambiente de negócios, reduzindo o custo Brasil; melhorar a concorrência; fazer investimento em infraestrutura privada; qualificar mais a mão de obra; valorizar a transparência; e construir um Brasil novo, mais produtivo, gerando emprego e renda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *