23 de setembro de 2018
Fala: “Nossa proposta é desregulamentar e desburocratizar. Aos poucos vamos chegar lá, é difícil, mas dá para reduzir a quantidade de impostos”
Varejo SA por Varejo SA

Candidato à Presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro desponta como um dos mais polêmicos postulantes do país. Fora do campo da economia, Bolsonaro defende que “as armas são instrumentos, objetos inertes, que podem ser utilizadas para matar ou para salvar vidas”. Promete que vai investir fortemente em equipamentos para a polícia, acabar com a progressão de pena e saídas temporária para detentos, reformular o estatuto do desarmamento, tipificar a invasão de propriedade privada como terrorismo e reduzir a maioridade penal para 16 anos.

Em seu programa de governo, o candidato defende a simplificação dos processos de abertura e fechamento de empresas e a criação de um “balcão único”, que centralizará todos os procedimentos. O texto afirma que os entes federativos teriam, no máximo, 30 dias para dar a resposta final sobre a documentação. Caso não dessem a resposta nesse prazo a empresa estaria automaticamente autorizada a iniciar ou encerrar suas atividades.

Sobre empreendedorismo, o candidato defende o fortalecimento do movimento por meio das universidades. “Todos os cursos devem estimular e ensinar o empreendedorismo para que o jovem saia da faculdade pensando em abrir uma empresa.”

A proposta de Bolsonaro é melhorar a infraestrutura por meio da desburocratização, simplificação e privatização. Seus projetos focam o liberalismo como solução econômica para o país porque este “reduz a inflação, baixa os juros, eleva a confiança e os investimentos, gera crescimento, emprego e oportunidades”. O plano de governo do candidato deixa claro que sua prioridade será “gerar crescimento, oportunidades e emprego, retirando enormes contingentes da população da situação precária na qual se encontram”. Para alcançar o resultado, estabelece como foco o controle fiscal, se afastando de políticas populistas, e o controle da inflação.

O programa de governo destaca um plano de privatizações de empresas públicas e a destinação dos recursos para a redução da dívida pública brasileira. Na questão da Previdência, Bolsonaro defende a adoção de um modelo de capitalização, funcionando em paralelo com o atual, que será reformado.

Bolsonaro também defende a redução do tamanho do Estado para equilibrar as contas públicas e ao mesmo tempo “organizar e desaparelhar as estruturas federais”. O presidenciável também promete reduzir o número de ministérios, considerado “ineficiente” e que não atende “os legítimos interesses da Nação”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *