23 de setembro de 2018
Fala: “Eu quero falar com as mulheres brasileiras. Eu nunca mais quero ver uma mulher sendo subestimada”
Varejo SA por Varejo SA

Concorrendo ao cargo máximo do país pela terceira vez, Marina Silva é candidata pela REDE e vem defendendo publicamente uma reforma política que prevê o fim da reeleição, mandatos para o Executivo de cinco anos a partir de 2022 e a limitação de dois mandatos para o poder Legislativo.

Em seu programa de governo, Marina declara perseguir uma “agenda para dinamizar a economia, por meio da melhoria do ambiente de negócios, facilitando a abertura e fechamento de empresas, desburocratizando processos, reduzindo a insegurança jurídica e as incertezas regulatórias, conferindo maior autonomia decisória e financeira às agências reguladoras e promovendo a inovação”.

Entre as diretrizes do seu programa destacam-se: o apoio ao empreendedorismo feminino, por meio de acesso a crédito e microcrédito, capacitação profissional, orientação para a gestão de pequenos negócios e serviços comunitários de qualidade. A candidata pretende promover uma reorientação das linhas de crédito do BNDES para financiamento de inovação, microcrédito e projetos de impacto socioambiental. Ela também defende a simplificação tributária e a desburocratização de processos, especialmente com a ampliação de serviços integrados por meio eletrônico.

Ainda de acordo com seu plano de governo, Marina afirma que a criação de empregos dignos será o foco central das políticas econômicas e sociais. A proposta é realizar uma revisão das prioridades de intervenção do Estado, privilegiando as atividades que de fato geram mais empregos. “Promoveremos a diminuição dos custos de contratação do trabalho formal e orientação dos programas sociais à inserção produtiva”, expressa.

Na área da Segurança Pública, a presidenciável defende a implementação do Sistema Único de Segurança Pública (SUSP), com foco na gestão para resultados e na integração das ações entre União, Estados e municípios. Ela também sugeriu a formação continuada e valorização dos policiais e ações em conjunto com as universidades.

Marina defende também a necessidade de uma reforma da Previdência, mas não detalha quais pontos são os mais importantes. Ela afirma que haverá um período de transição para um regime de capitalização, o estabelecimento de idade mínima para aposentadoria e a diferença neste quesito para homens e mulheres.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *