9 de março de 2020
Entrevista – André Friedheim
Varejo SA por Varejo SA

O presidente da Associação Brasileira de Franchising (ABF), André Friedheim, recebeu com otimismo os resultados do ranking com as 50 maiores franquias do Brasil. Além do crescimento do setor em vários indicativos, ele chama atenção para a vitalidade de alguns segmentos fora dos sempre bem-sucedidos nichos de saúde e alimentação.

Nesta entrevista concedida à Varejo s.a., o executivo fala dos motivos que levaram o setor a ter um bom resultado em 2019 e das expectativas para 2020.


Como avalia o resultado da pesquisa?

É o quarto ano que a ABF promove o estudo das 50 maiores redes por número de unidades no Brasil e já é possível constatar que o setor vem amadurecendo. Todos os principais indicadores (volume total de unidades, taxa média de expansão, volume mínimo para entrar no grupo) vêm crescendo ano a ano. As taxas, de forma geral, são superiores às médias do setor como um todo. Além disso, apesar de os segmentos mais tradicionais de alimentação, serviços educacionais e saúde, beleza e bem-estar continuarem a concentrar o maior número de redes entre as 50 maiores, paulatinamente vemos novos nichos chegando, mostrando a vitalidade de nosso setor.

A que se deve o crescimento das empresas de franquia no Brasil?

Atribuímos esse crescimento a dois fatores principais. O primeiro é a própria natureza do franchising, um sistema baseado na parceria entre um empresário mais experiente (o franqueador) e um operador na ponta (o franqueado). Esse modelo propicia grande colaboração, troca de experiências e compartilhamento de custos, recursos e projetos. O segundo fator é a agenda de ajustes que o franchising começou a adotar há cerca de quatro anos. Tornar a operação mais eficiente, cortar custos, desenvolver novos produtos e serviços, buscar novos públicos, modelos de negócio e mercados e investir em inovação em várias etapas são atividades que as redes de franquia perseguiram com afinco e pelas quais estão colhendo os frutos.

Algumas franquias de tecnologia vêm se destacando. O que isso implica?

A transformação digital é uma grande tendência no franchising. Isso implica a adoção de cada vez mais tecnologia em várias etapas do negócio, como também no desenvolvimento de novos produtos e serviços. Dentro dessa tendência, ainda temos a questão da multicanalidade, ou seja, atender ao consumidor tanto em lojas físicas quanto pelo e-commerce direto. Aí vemos o desenvolvimento de franquias de serviço e novos formatos e modelos de negócio, como o home office e o home based.

Quais são as expectativas do setor de franquias para 2020?

Em 2019, a prévia do desempenho do setor apontou um crescimento de quase 7%. Frente às incertezas que enfrentamos no ano passado, não é um resultado ruim, mas esperamos que em 2020 o franchising acelere e chegue a registrar um crescimento de cerca de 8%. O grande impulsionador desse desenvolvimento deve ser a maior disposição de empresários e candidatos a franqueados em investir, mas esperamos também que as reformas estruturantes na esfera federal continuem a andar, assim como a melhora geral do quadro macroeconômico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *