27 de novembro de 2019
Então, é Natal
Marcela Kawauti por Marcela Kawauti

Às vésperas do fim de ano, a multidão se aperta, com suas sacolas, na rua 25 de março e adjacências. A cena se repete nos centros comerciais Brasil afora. Quem é que não gosta de presentear – e de se presentear – nessa época do ano?

Estamos próximos da data comemorativa que, certamente, é a mais importante para o varejo. As expectativas dos empresários estão altas. Pesquisa conduzida pelo SPC Brasil mostrou que 58% dos varejistas e prestadores de serviços esperam um fim de ano melhor para as vendas. Poucos (9%) acreditam que teremos um fim de ano pior. Em 2018, a expectativa de vendas melhores era compartilhada por 41,0%, ou seja, menos da metade desses empresários.

O que aconteceu, afinal, entre um ano e outro? Vimos a confiança do brasileiro aumentar; a economia caminhar para frente, apesar de seu passo lento; e o volume de vendas do varejo crescer, apesar do ritmo aquém do desejado. Os dados mais recentes do IBGE apontam que, de janeiro a agosto de 2019, o varejo avançou 1,4%.

Gostaríamos que o avanço fosse maior, mas prefiro deixar esse tema para outra coluna. Antes, vamos olhar para o que resta de 2019. A mesma sondagem que constatou a melhora das expectativas com as vendas de fim do ano também investigou a intenção de contratação de mão de obra e o preparo do estabelecimento.

Quase metade (47,0%) dos empresários confirmou que está se preparando para receber o movimento de fim de ano, mas um percentual parecido (43,0%) diz não estar se preparando no momento. As formas de preparo variam: 43,0% estão ampliando estoques; 42,0% estão investindo na divulgação; 30,0% estão apostando na variedade de produtos, entre outras medidas.

Para reforçar o quadro de funcionários, 22,6% pretendem contratar mão de obra pensando nas vendas de fim de ano. Estima-se que 103 mil vagas foram ou serão abertas nas próximas semanas. Entre aqueles que irão contratar, 52,0% farão contratação temporária.

A Black Friday, que ocorre neste mês, também exige um preparo prévio. O evento é cada vez mais esperado pelo consumidor que busca promoções e quer fugir das filas e multidões. De acordo com a sondagem, 21,3% dos empresários de varejo e serviços estão se preparando para a data, percentual bem maior do que o observado em 2018 (11,2%).

As datas comemorativas beneficiam todo o varejo, mas quem se mobiliza pode sair na frente. Em vez de esperar que o consumidor entre pela porta do estabelecimento, vá em busca dele, procure encantá-lo. E ele voltará mesmo depois do Natal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *