8ª edição

Entrevista – Marcos Lima

marcos_lima_

Consultor do Instituto de Avaliação & Gestão (IAG), organização de educação corporativa em planejamento estratégico, processos e gestão, o professor Marcos Lima tem mais de 20 anos de experiência em projetos com a iniciativa privada e políticas públicas setoriais. Ele é responsável pelos seminários do Programa Nacional de Desenvolvimento do Varejo (PNDV), parceria da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), para elaboração, disseminação e articulação de políticas públicas para o varejo, além da qualificação de dirigentes do Sistema CDNL.

 

Lima conversou com a revista Varejo s.a. sobre como o segmento varejista deve incentivar o governo a transparecer incentivos para políticas públicas mais abrangentes e que possam beneficiar mais setores.

 

Como o PNDV pode melhorar o desenvolvimento do setor no Brasil?

A iniciativa é inovadora no segmento varejista do país e a busca pelo seu desenvolvimento é inadiável, necessária e merece celeridade, principalmente devido à importância já conquistada na nossa economia – é um dos setores que mais geram empregos, além de deter alta representatividade no Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro e ter forte tendência de expansão dessa representatividade.

A melhoria do varejo, no Brasil, vai contribuir para o desenvolvimento da nossa economia como um todo, pois fortalecerá o setor e garantirá maior poder de competividade e inovação, fatores estratégicos extremamente necessários para a competição interna e a economia global.

O que podemos esperar do programa?

O PNDV compreende um conjunto de ações e atividades com foco em políticas públicas com potencial de criação de vantagens competitivas para micro e pequenos negócios do setor varejista. Além disso, as ações de qualificação de lideranças empresariais varejistas e dirigentes do Sistema CNDL previstas são voltadas a potencializar a estruturação das demandas do setor na agenda governamental.

Acreditamos e constatamos que o PNDV é o melhor caminho e deixará um legado histórico para o setor do varejo no Brasil.

A estratégia de desenvolver o projeto via a construção de propostas de políticas públicas com todos os atores envolvidos (lideranças empresariais, dirigentes do Sistema CNDL, lideranças políticas,  gestores públicos e outros) garante vários benefícios para o varejo e seus atores: a importância de mobilização sistemática; a conscientização da importância das políticas públicas para os avanços sociais e do setor; a educação política e a formação de cidadania, oportunizando a transformação de demandas e necessidades em desafios a ser conquistados; e a mudança de postura do agente de expectador para ator, de modo a ser um agente atuante e de mudanças e não apenas um ser passivo que cobra e reclama.

Se avançarmos no atingimento desses benefícios, com certeza avançaremos na conquista efetiva e consolidada de políticas públicas que trarão um ponto de inflexão ao varejo brasileiro, como ocorreu em vários outros setores, como o agronegócio e a indústria, respeitadas as peculiaridades e contextos.

Como as políticas públicas refletem no desenvolvimento do país?

O desenvolvimento de uma nação passa pelas decisões que seu povo e seus setores componentes tomam visando ao seu futuro de curto, médio e longo prazo. As políticas públicas são processos de mediação e solução para os desafios ao seu pleno e consistente desenvolvimento econômico e social.

Já estamos no século XXI e ainda não compreendemos plenamente a relevância das políticas públicas no desenvolvimento do Brasil. Elas servem para assegurar direitos de cidadania, previstos na nossa Constituição, ou, ainda, para consolidar decisões reconhecidas por parte da sociedade e/ou pelo poder público como necessárias de implementação e manutenção viva entre nós, que formamos a cidadania de uma nação.

Quais são as principais demandas apresentadas até agora nos eventos de que participou?

Nos momentos de construção e qualificação já realizados nos estados da Bahia, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Pernambuco e Ceará, foram verificados os seguintes principais desafios para o varejo, respeitadas as peculiaridades locais:

DESAFIOS_VAREJO_BR

Fonte: IAG (2017).

Quais são as iniciativas mais necessárias identificadas até agora?

O varejo é diferente da indústria e do agronegócio. Seu caminho de conquista, de valorização e de desenvolvimento passa pela sua diversidade e multiplicidade de perfis.

O conceito de políticas públicas a ser aplicado a essa realidade não pode ser a estratégia da padronização ou apenas leis, decretos ou portarias a partir do poder público, embora, para as questões de abrangência ampla, seja essa a estratégia a ser adotada, como, por exemplo, nas questões que envolvem as reformas em andamento no Congresso Nacional.

Ações pontuais, mesmo sendo pontuais, precisam ser valorizadas, pois representam avanços na realidade local e podem ser alvo de aprendizado para realidades em outras regiões do país.

Já posso recomendar que os casos práticos reais e exitosos que estamos mapeando no varejo sejam alvo de consolidação e publicação decorrente do PNDV, servindo de instrumento para processos educativos visando à sua aprendizagem e disseminação pelo Sistema CNDL.

Em abril, o PNDV passou pelos seguintes estados:

Recife

Minas Gerais

São Paulo

PNDV_ABRIL

shares