30 de julho de 2017
Consumo on-line no Brasil
Varejo SA por Varejo SA

Quem são e o que consomem as pessoas que compram pela internet

 

 

 

 

 

 

No mundo inteiro, varejistas de diversos tamanhos e segmentos estão diante de um enorme desafio: adaptar-se rapidamente às demandas de um tipo de consumidor cada vez mais informado e exigente, sempre em busca de experiências de compra que combinem praticidade, percepção de valor e satisfação com cada produto ou serviço adquirido pela internet.

O cenário atual sugere que é fundamental ampliar e inovar nas estratégias comerciais, incorporando a internet aos canais de atendimento e de vendas. As empresas precisam demarcar seu espaço no universo on-line, a fim de não perderem relevância e competitividade. Para isso, é importante saber quem são e o que consomem as pessoas que compram pela internet.

Fazer compras pela internet já se tornou um hábito do internauta brasileiro: 89% realizaram ao menos uma compra online no último ano, percentual que se mantém elevado em todos os estratos sociais analisados, mas ganha destaque entre os homens (93%), pessoas de 35 a 49 anos (95%) e as classes A e B (99%).

hábito do internauta brasileiro

Mesmo em um cenário de crise, a maior parte (43%) dos consumidores on-line aumentou a quantidade de produtos adquiridos pela internet em comparação a 2016. Para 38%, o volume manteve-se estável, enquanto 18% diminuíram o número de compras feitas por esse meio.

 

Vantagens:

– Percepção de que os produtos vendidos pela internet são mais baratos do que nas lojas físicas (58%).

– Comodidade por não ter de sair de casa (45%).

– Possibilidade de fazer compras no horário que quiser (31%).

– Economia de tempo (29%).

– Facilidade que a internet proporciona na comparação de preços (28%).

 

Desvantagens:

– Pagamento de frete (49%).

– Impossibilidade de experimentar o produto (42%).

– Tempo decorrido entre a compra e o recebimento não imediato (42%).

– Impossibilidade de tocar ou sentir o cheiro daquilo que se está comprando (39%).

– Insegurança de que o produto de fato será entregue (30%).

 

Em média, o internauta brasileiro gastou R$ 292 na sua última compra on-line, sendo que os homens (R$ 343) gastaram mais do que as mulheres (R$ 243). Levando em consideração os últimos 90 dias anteriores à pesquisa, os consumidores realizaram três compras pela internet, em média. Na hora de pagar, o parcelamento no cartão de crédito foi o meio mais utilizado – instrumento ao qual 65% dos compradores recorreram. A média de prestações foi de cinco parcelas.

varejoF3

 

 

46% dos compradores admitiram não ter planejado sua última compra pela internet, seja porque se sentiram atraídos por promoções e funcionalidades do produto (38%), seja porque foram movidos por aspectos emocionais (10%), como ansiedade, baixa autoestima e necessidade de agradar a si próprio.

5% dos entrevistados compraram on-line por não terem encontrado o produto nas lojas físicas

O ranking dos produtos mais adquiridos pela internet no Brasil comprova a diversidade de segmentos de e-commerce no país. Considerando os últimos três meses, os itens mais comprados foram:

– peças de vestuário, calçados e acessórios (35%);

– ingressos para shows, teatro, cinema e eventos esportivos (27%);

– livros – físicos ou digitais (27%);

– celulares (24%);

– produtos eletrônicos (24%);

– artigos para casa (24%);

– remédios ou produtos para saúde (22%);

– cosméticos e perfumes (21%).

 

A maior parte das compras é feita por meio de computadores ou notebooks (67%), mas 21% já utilizam os smartphones para comprar on-line.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *