3ª edição
2-coluna-marcela
O impacto da queda de juros na economia
11 de novembro de 2016
2-coluna-hilaine
Se preparando para o Natal
11 de novembro de 2016

A urgente Reforma Tributária e as possíveis mudanças no governo Temer

Por João Eloi Olenke Presidente do Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação

O Brasil é conhecido por manter um dos mais complexos sistemas tributários do mundo, fator que se reflete diretamente na vida de todo empresário, em especial os do setor do comércio, devido à quantidade de obrigações acessórias que são exigidas dos contribuintes.

Diante deste cenário, as empresas são obrigadas a investir em tecnologia da informação, além de manter um departamento fiscal bastante profissional, a fim de acompanhar, diariamente, a legislação e minimizar possíveis erros, visto que as multas são bastante altas.

A Receita Federal do Brasil (RFB) tem se esmerado nas últimas décadas no uso da tecnologia a favor da fiscalização e, consequentemente, em prol do aumento de arrecadação.

Esta nova era poderá representar a redução da burocracia e dos custos no cumprimento de diversas obrigações acessórias hoje existentes.

Nos últimos anos, o Sistema Público de Escrituração Digital (Sped) tem revolucionado a maneira dos contribuintes se comunicarem com o governo, ao exigir maior agilidade e muito mais cuidados na apuração das informações que serão transmitidas eletronicamente à Receita Federal.

Pelo eSocial - que apesar de ter sido prorrogado diversas vezes, uma hora entrará em vigor - o governo terá acesso a centenas de informações trabalhistas e previdenciárias dos empregados, que deverão ser informadas pelos empregadores. Não haverá como escapar deste grande Big Brother.

Esta nova era poderá representar a redução da burocracia e dos custos no cumprimento de diversas obrigações acessórias hoje existentes, eliminando de vez a utilização de papéis, visto que o armazenamento dos dados em ambiente eletrônico é feito com maior segurança.

Contudo, as empresas precisam se aprimorar tecnologicamente, obter condições de atender às exigências cada vez maiores do fisco e, ao mesmo tempo, se estruturar para suportar os possíveis custos advindos destas operações, buscando a maximização de seus resultados econômicos.

shares