18 de novembro de 2019
Casos de família
Varejo SA por Varejo SA

Luis Lobão começa a lançar obra monumental sobre empresas familiares

Dos tipos de empesa, as que são comandadas por famílias são as mais antigas e comuns. Chega a ser natural. Casais fazem economia, fundem a poupança para abrir suas lojas, filhos se dividem em funções de atendimento e gestão, irmãos e irmãs mais novos dividem o tempo entre a escola e funções da empresa e assim vai se dando o casamento entre o trabalho e o aconchego doméstico. Tal proximidade entre sócios tem lá suas peculiaridades, vantagens e desvantagens que, se não forem entendidas, poderão comprometer todo o negócio.

Foi pensando nesse nicho que a editora Autografia lançou neste ano a coleção Família e Negócio, organizada e escrita por Luis Lobão, especialista em governança corporativa. O trabalho é dividido em cinco volumes, que tratam de assuntos como ferramentas para estruturar a governança na empresa familiar, protocolos familiares e acordos de acionistas. Eles são a primeira etapa de uma série monumental de 17 livros que Lobão está produzindo. “Será a obra mais completa sobre empresas familiares e seus desafios”, diz o escritor.

De fato, Família e Negócio é uma obra de grande relevância, fruto da experiência que o autor acumulou ao longo de 20 anos de trabalho como consultor de empresas familiares. “Fui organizando meu material de consultoria e, quando vi, tinha um vasto conteúdo que poderia ser compartilhado por milhares de empresas familiares”, conta.

Segundo ele, as principais diferenças entre um negócio próprio e o familiar são a profissionalização e o horizonte temporal das decisões: “Na empresa não familiar, existe um forte senso de meritocracia; em contrapartida, a visão tende a ser de curto prazo. Já na empresa familiar, o horizonte temporal é maior, mas existe dificuldade em praticar a meritocracia”.

Lobão também lembra que as empresas familiares conseguem resultados melhores no médio prazo. “Elas têm um universo temporal maior e preocupação com a sustentabilidade e o legado”, explica.

Com tanta informação, o autor não tem tanto esforço em apontar um dos problemas mais comuns nesse tipo de empresa. “Sem dúvida, é o momento da sucessão”, afirma. “Quando falamos em sucessão, estamos falando em preparar alguém que estará à frente do negócio, da família e do patrimônio. Isso tem que se dar em um processo que envolve até mesmo a preparação de quem será sucedido”, explica.

O quinto livro da série será lançado neste mês e terá como tema “Executivo não familiar na empresa familiar”. “Com este número, esperamos contribuir para melhorar um grande problema nas empresas, que é como construir uma relação de valor com profissionais do mercado”, finaliza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *