7 de fevereiro de 2019
As temidas contas de início de ano!
Varejo SA por Varejo SA

Passada a euforia do Natal, Réveillon e férias escolares, o brasileiro se depara com uma série de compromissos que, se não planejados, podem desajustar o orçamento logo nos primeiros meses do ano.

Já não são novidade, mas, mesmo assim, elas assustam. São as tradicionais contas de início de ano, como IPTU, IPVA, material escolar, rematrícula, despesas com as férias… Todo ano, elas têm data certa para bater à porta da casa de milhões de pessoas, mas isso não é suficiente para que os consumidores tenham se preparado para pagá-las sem enfrentar grandes percalços.

Um levantamento da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) descobriu que, a cada dez brasileiros, um (11%) não fez qualquer planejamento para lidar com as contas desse período. Além disso, apenas 9% conseguem cobrir todas essas despesas com o salário que recebem mensalmente.

A boa notícia é que, neste ano, mais pessoas se prepararam para quitar as contas sazonais e evitar dor de cabeça. Saiu de 21%, em 2018, para 31%, em 2019, o percentual daqueles que juntaram dinheiro ao longo do ano com essa finalidade. Alguns resolveram colocar o pé no freio (24%) nas compras de Natal, enquanto 19% recorreram a trabalhos informais, como bicos, por exemplo.

“Para não começar 2019 com as contas desarrumadas, o consumidor deveria ter feito uma reflexão lá no fim do ano passado, colocando na ponta do lápis uma previsão de suas receitas e despesas. Se, neste ano, não deu para pagar as contas à vista, que então fique a lição para 2020, mas tendo em mente que o início do próximo ano deve ser planejado alguns meses antes”, explica o educador financeiro do portal Meu Bolso Feliz, José Vignoli.

Como o brasileiro se preparou para as contas de início de ano?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *