7 de fevereiro de 2019
A pessoa como foco principal
Amanda Wall por Amanda Wall

Multicanalidade, e-commerce, diversidade, liderança e a importância do capital humano marcaram os debates

Uma verdadeira maratona de palestras e conhecimento. No palco principal da NRF Big Show 2019, líderes das principais redes varejistas do mundo apresentaram as experiências de sucesso em suas lojas e trouxeram reflexões importantes sobre diversidade, multicanalidade, e-commerce e futuro do varejo. No entanto, a prioridade das discussões são as pessoas. As inovações tecnológicas pelas quais o varejo vem passando ao longo dos anos trazem os seres humanos como foco principal.

Sobre o futuro do varejo, Rodney McMullen, presidente do Conselho e CEO da The Kroger Co, foi categórico: “o setor não vai desaparecer como se chegou a pensar. Não vai mais ter o mesmo formato atual, mas vai continuar existindo. O varejo vai sim mudar e isso é muito divertido”. McMullen apresentou, no painel “Reestocando o futuro: O insaciável apetite da Kroger para jogar e vencer o jogo a longo prazo”, como uma das maiores e mais respeitadas marcas do setor alimentício continua a ultrapassar limites como forma de aumentar sua vantagem competitiva.

Liderança – Matthew Shay, presidente da NRF, recebeu os executivos Chip Bergh, da Levi Strauss & Co, Hubert Joly, da Best Buy, e Edward Stack, da Dick’s Sporting Goods, para o painel “Consciência corporativa: Liderança com convicção”. Os convidados descreveram seus princípios de liderança e suas perspectivas, sua visão de longo prazo, e seus insights de como montar uma cultura sólida na companhia, liderando a partir de dentro e de forma convicta.

Para Edward Stack, “é preciso liderar com o coração. O que você pensa que é a coisa certa a fazer é o que você tem que fazer”. Hubert Joly acredita que como líder, é preciso entender o poder do dinheiro, mas este não é o primeiro princípio a ser seguido. “Você tem que ter claro qual é seu papel como líder, ter clareza de quem você está servindo, entender o consumidor e, acima de tudo, ser autêntico. Seja a melhor versão de você mesmo”, concluiu.

Brasileiros – O painel “Conversa de superpoderes globais: visões da Europa e América Latina”, reuniu Alberto Serrentino, CEO da Varese Retail, Francisco Pinto da Planoforte (Itália) e Alexandre Costa, CEO e fundador da Cacau Show para compartilhar experiências europeias e brasileiras com o público.

“Quando falamos em organizações de varejo que tenham superpoderes, falamos em empresas que coloquem o cliente no centro, que sejam ágeis e que utilizem dados intensamente, organizações construídas com a capacidade de enfrentar esses desafios”, introduziu Serrentino. O consultor destacou a importância dos dados como centro dos processos e de um desenho operacional eficiente.

Macy´s – Jeff Gennette, CEO da gigante varejista norte-americana Macy´s apresentou uma das mais concorridas palestras da NRF 2019. Ele abordou a reinvenção da jornada do cliente durante a experiência de compra que conta com a multicanalidade e o consumidor no centro das relações de consumo. “Temos que facilitar a jornada do cliente. Quando ele está em nosso aplicativo, site ou em nossas lojas, isso tem que ser fácil para ele. É preciso engajamento e interação com o cliente, as lojas, independentemente se físicas ou digitais, têm que ser um local de entretenimento”, afirma Gennete.

Também subiram ao palco principal da NRF Harlan Bratcher, diretor de Desenvolvimento de Negócios Globais da JD Fashion, e Rod Sides, vice-presidente e Líder nos EUA de Varejo, Atacado e Práticas de Distribuição da Deloitte, para tratar do panorama do varejo na China, além de explorar as mudanças de comportamento do consumidor e os avanços tecnológicos que transformaram completamente o pensamento tradicional.

Exposição de novidades

Feira reuniu o que há de mais avançado em soluções tecnológicas para o varejo

A NRF Big Show 2019 é o momento para conhecer de perto as principais inovações e tendências tecnológicas para o setor varejista em todo o mundo. “Tecnologia não é fim, é meio. Vocês perceberam, na maior parte das palestras, que as pessoas – comunidade, cliente e colaborador – estão no centro das relações de consumo. E esse tripé é que está mudando a dinâmica das empresas. Toda a mudança pelas quais as empresas vêm passando nos últimos anos só é possível por meio de tecnologia e para atender às pessoas”, comentou Fabiana Mendes, da GS&Friedman.

Uma tendência que segue forte o omnichannel e toda a tecnologia apresentada na feira está à disposição da multicanalidade. A ideia é sempre facilitar a jornada do cliente. Na exposição, uma das inovações que mais chamou atenção foi o robô-garçom, desenvolvido pelo grupo Alibaba, que reúne empresas de desenvolvimento de e-commerce e novas soluções para pagamento, segurança e contagem de fluxo de pessoas.

“Fala-se muito sobre a substituição das pessoas por conta do desenvolvimento tecnológico, mas o que vemos é o surgimento de novas formas de as pessoas participarem e contribuírem neste processo”, disse Fabiana. “Conhecer melhor o cliente, oferecer soluções tecnológicas, entregar soluções personalizadas são alguns dos desafios do lojista. E nisso a tecnologia certamente vai ajudar”, complementou Roberto Kantar.

Para o presidente da CNDL, José César da Costa, muitas das soluções apresentadas na NRF podem ser implementadas no varejo brasileiro procurando sempre garantir a melhor experiência para o consumidor. “Trazer os nossos líderes para um evento deste porte é uma forma de pulverizar todos esse conhecimento adquirido aqui para nossas Federações e CDLs de modo a levar ainda mais produtividade e competitividade para os nossos negócios”, acredita.

Fusão – Mas o e-commerce é apenas metade da história. A outra parte se dará nas lojas físicas. E é aí que reside a grande disrupção. Uma das tendências mais vibrantes são as soluções relacionadas a reconhecimento por imagem, tanto de pessoas quanto de objetos. Imagine uma invasão de câmeras e sensores inteligentes cuidando das compras. É por aí.

A empresa Pensa, em parceria com a Intel, oferece um drone que faz o inventário dos itens nos pontos de venda. Com uso de inteligência artificial (IA) eles escaneiam autonomamente as prateleiras e enviam alertas a varejistas e fornecedores sobre o que realmente está disponível. O controle de estoques e o fluxo para a reposição de produtos são um dos maiores gargalos do varejo.

O varejo está de olho: instrumentos de reconhecimento visual aliados a programas de inteligência artificial vão pautar o novo jeito de consumir. Acima, a maior feira do mundo no setor, a NRF, em Nova York.

Serviço semelhante é oferecido pela Trax, empresa de Cingapura, em parceria com a Fetch Robotics. Nesse caso um robô faz o que o drone realiza na solução da Pensa. Emitindo todas as informações em tempo real. “Este próximo passo para o setor de varejo reduzirá significativamente as despesas operacionais e tornará os varejistas mais ágeis, o que levará ao aumento das margens e das receitas”, diz o CEO nos Estados Unidos da Trax, Steve Hornyak.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *